Header Ads

Chuvas mantêm Região Metropolitana em estado de atenção

 


Prefeituras se esforçam para minimizar os danos e estragos causados na última semana

As chuvas continuam trazendo prejuízos Região Metropolitana de Campinas. Na madrugada de ontem, a queda de uma árvore do Bosque do Jequitibás, em Campinas, deixou a população do bairro sem energia por cerca de 16 horas. O incidente ocorreu no começo da madrugada de ontem, na Rua Uruguaiana, logo após a meia-noite, quando os cabos e fios de alta tensão foram derrubados pelos ganhos e peso do tronco e os postes da rua também foram afetados. Não houve feridos e segundo técnicos do o Departamento de Parques e Jardins (DPJ) a árvore estava saudável e, provavelmente, a queda ocorreu devido ao solo encharcado pelas chuvas intensas. Trata-se de uma espécie comum em floresta natural, que estava dentro do Bosque dos Jequitibás, cuja raiz é mais superficial.

Os moradores do entorno escutaram um estrondo durante a noite e logo ficaram sem energia. A via precisou ser interditada. "Logo após o estrondo, imaginamos que era uma árvore caindo. O transformador da rua estourou também e a energia caiu na sequência. A gente ligou na Prefeitura e os funcionários vieram aqui e isolaram a rua", contou o jornalista de 54 anos, Edilson Damas, que mora próximo ao local da queda.

Procurada, a CPFL Paulista informou que esteve em contato com a Administração desde a manhã de ontem e o retorno da energia se deu por volta das 16h.

Os funcionários da Prefeitura de Campinas desmontaram uma caixa d'água do Centro de Educação Infantil (CEI) Leonel Brizola, de 18 metros de altura, que ameaçava tombar anteontem, após as fortes chuvas que atingiram a região e no Jardim Marisa, no Campo Belo. Parte da Rua Heráclito Fontoura Sobral Pinto foi interditada para evitar acidentes com pedestres e veículos. A caixa d'água, de 36 mil, será substituída por duas menores. As aulas da unidade educacional foram suspensas até a próxima segunda-feira. A Administração informou que já serão iniciadas as montagens das outras duas caixas d'água no local.

A Defesa Civil de Campinas informou que, até o momento, a cidade registrou 27 casas alagadas, sendo que 20 delas interditadas. As famílias foram para a casa de parentes e receberam atendimento da Assistência Social. Desse total, 17 casas interditadas estão no Jardim do Lago Continuação; sete imóveis alagados no Campituba, uma residência interditada no Filadélfia e duas no Jardim Shangai. Outras construções foram alagadas pelas chuvas no Centro, no Jd. Itaguaçu (região do Campo Belo), Jd. Marisa, Jd. Lisa e Vila Castelo Branco.

Na região

As cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) seguem dando auxílio às famílias desabrigadas ou desalojadas. Em Monte Mor, a prefeitura informou que 150 pessoas estão desalojadas e, provisoriamente estão em casas de amigos e parentes. Além disso, quatro pessoas (um casal e uma mãe com uma criança de colo) continuam alojadas na Escola Municipal Tereza de Lourdes Ferreira Penteado. Subiu para nove o número de pessoas no Ginásio Durval Gonçalves.

O nível do Rio Capivari está, na régua de marcação, em cinco metros - 1,5 metro acima do normal. Os pontos de alagamento são cinco: Jd. Capuavinha, Jd. Progresso, Avenida Siqueira Campos (Centro), Chácaras Pindorama e Vila Farid Calil.

"O Fundo Social de Solidariedade continua recebendo doações para as pessoas atingidas na ruas Siqueira Campos e XV de novembro: alimentos, produtos de higiene e limpeza, água potável, roupas, roupas de cama, cobertores, toalhas, móveis e eletrodoméstico", informou por meio de nota a Administração.

Em Jaguariúna, o nível do Rio Camanducaia estava em 2,89 metros e, com isso, a cidade não registra mais pontos de alagamento. Moradores desalojados permanecem abrigados em pousadas, sem previsão de retorno às suas casas.

Anteontem, o rio transbordou devido aos temporais e fez com que quatro famílias ribeirinhas precisassem ser removidas de suas residências no bairro Recanto Camanducaia.

Em Capivari, 156 pessoas estão desabrigadas e foram acolhidas na Escola Municipal Aldo Silveira, Ginásio de Esportes Ronaldo Zaidan Pellegrini, creche Alcinda Santos Proença, Escola Teresinha Franchi e Igreja Evangélica Moriáh.

A Administração também informou que a ponte situada na Rua Piracicaba, no bairro Bosque dos Pinheiros, foi interditada temporariamente. "O local ficou submerso durante as inundações dos últimos dias, sofrendo choques com diversas árvores e veículos devido à força da correnteza. Portanto, o tráfego nela ficará impedido para avaliações na estrutura da ponte", informou em nota o governo municipal.


Fonte: Cp

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.