Header Ads

Chuva perde força, mas deve continuar durante toda a primeira semana de fevereiro na região metropolitana de Campinas

 


Na metrópole, são esperados 42 milímetros de precipitação até a próxima sexta (4). Defesa Civil fez alerta para riscos de novas enchentes, após temporais do fim de semana deixarem 25 cidades em estado de atenção.

A região de Campinas (SP) deve registrar mais chuvas no decorrer desta semana, segundo o serviço de meteorologia Climatempo. No entanto, a previsão indica que a intensidade dos temporais registrada no último fim de semana não deve se repetir nos próximos dias, já que a tendência é de que o volume de precipitações reduza gradativamente.

De acordo com os meteorologistas, apenas em Campinas, entre terça (1°) e sexta-feira (4), são esperados 42 milímetros de chuva.

Terça - 16 milímetros

Quarta - 10 milímetros

Quinta - 8 milímetros

Sexta - 8 milímetros

Apesar dos volumes mais baixos, a Defesa Civil fez um alerta nesta segunda-feira (31) para os riscos de deslizamentos, desabamentos, alagamentos, enchentes e ocorrências relacionadas a raios e ventos.

Isso porque, segundo o órgão, o solo nas cidades já ficou encharcado devido às fortes chuvas do fim de semana. Ao todo, após os temporais, 25 municípios da região ficaram em estado de atenção, ou seja, registraram volume de precipitação superior a 80 milímetros nas últimas 72 horas.

Em Campinas, o índice atingiu 218,9 milímetros, o que, conforme balanço do Climatempo, contribuiu para que a metrópole tivesse o janeiro mais chuvoso dos últimos anos.

Se por um lado as chuvas devem diminuir ao longo da semana, por outro as temperaturas tendem a aumentar, com máximas passando dos 26°C, na terça, para a casa dos 30°C, até sexta-feira.

Estragos da chuva

O fim de semana na região foi marcado por estragos e transtornos provocados pela chuva. Em Campinas, a Defesa Civil contabilizou pelo menos 57 ocorrências e há 12 imóveis interditados.

Monte Mor (SP), por sua vez, sofreu com problemas de alagamento e confirmou 150 pessoas desalojadas depois de o Rio Capivari transbordar.

Em Sumaré, ao menos quatro bairros tiveram alagamentos e o Ribeirão Quilombo transbordou, o que causou a inundação de casas. Já em Valinhos, 17 famílias precisaram ser retiradas de um condomínio após a queda de um muro afetar blocos residenciais e houve alagamentos.

Ainda no domingo, um deslizamento de terra provocou bloqueio em uma das pistas da Rodovia Jornalista Francisco Aguirra Proença (SP-101), a Campinas-Monte Mor (SP), em Hortolândia.

Os especialistas afirmam que os altos índices de precipitação têm relação com a passagem de uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é uma espécie de corredor de umidade que atravessa verticalmente o país.



Fonte: G1

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.