Header Ads

Motorista de aplicativo flagra pneu de ônibus da Terra estourado em Betel e careca


 Veículo faz o transporte público municipal de passageiros e a ligação do bairro com a Rodoviária Shopping de Paulínia pela rodovia Zeferino Vaz


Um motorista de aplicativo filmou na manhã desta quinta-feira (6) o pneu careca de um ônibus da Terra Auto Viação Transportes Ltda que havia estourado momentos antes no bairro Betel, em Paulínia. A empresa é responsável pelo transporte público municipal de passageiros na cidade. Ela tem contrato emergencial em vigor com a Prefeitura até o próximo dia 27 de março, apesar de já estar definida desde agosto passado a vencedora da concorrência pública milionária para o setor no município.


O motorista de aplicativo, disse que encontrou o ônibus da Terra com o pneu estourado por volta das 9h, na Rua Isaura Ambrósio Gonçalves. “Fui levar um cliente em Betel e vi o ônibus parado”, contou. “Eu só fiz o vídeo pelo estado do pneu careca, com arame parecendo”. Segundo relatos nas redes sociais, o incidente aconteceu em torno das 8h30, assustando moradores da rua. Não há notícias de feridos.


O ônibus faz a ligação do bairro Betel com a Rodoviária Shopping de Paulínia pela Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332). “Se tivesse estourado na rodovia o resultado poderia ter sido outro, bem mais trágico”, destacou o motorista. “Uma irresponsabilidade da empresa e até mesmo do motorista sair com o ônibus para rodar com um pneu naquele estado.”


A Terra e a Prefeitura foram procuradas pela reportagem, mas não se manifestaram até a publicação deste texto. Desde a última segunda-feira (3), os veículos da Terra também rodam sem cobradores. Cerca de 100 deles teriam perdido o emprego. Os motoristas da Terra a partir de então  cobram as passagens e dão o troco  aos passageiros.


A nova licitação pública do transporte público, concluída e homologada pela Prefeitura desde o dia 23 de agosto deste ano, não prevê cobradores nos ônibus do serviço público de transporte municipal de passageiros da cidade. A concorrência foi vencida pelo Consórcio Mobilidade Paulínia, que ainda não assumiu os trabalhos. Segundo a Prefeitura, o consórcio tem até o dia 28 de março para começar a rodar na cidade. O contrato pelos próximos 10 anos está estimado em R$ 268,9 milhões.


O Consórcio Mobilidade Paulínia é formado pela Rápido Sumaré Ltda, do Grupo Belarmino, e pela própria Terra, que executa o serviço público de transporte municipal coletivo urbano e rural de passageiros da cidade desde janeiro de 2020 por meio de contratos emergenciais. O último – assinado  no dia 30 de novembro passado, pelo prazo de 117 dias – vai custar R$ 6.182.954,89 (seis milhões, cento e oitenta e dois mil, novecentos e cinquenta e quatro reais e oitenta e nove centavos) aos cofres públicos.


No dia 28 de abril deste ano, motoristas e cobradores paralisaram as atividades para protestar contra o fim dos cobradores nos ônibus do transporte municipal e retornaram aos trabalhos no dia seguinte após a Terra assumir o compromisso de remanejá-los para outras funções caso seguisse com a concessão. Nem Prefeitura e a Terra voltaram a se pronunciar sobre o assunto.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.