Header Ads

Seo Services

Pronto-socorro de Artur Nogueira, SP, é alvo de críticas de moradores

Falta de infraestrutura e medicamentos são algumas das reclamações.
População relata ainda demora para atendimento na unidade médica.
Moradores de Artur Nogueira (SP) reclamam de falta de infraestrutura, médicos e relatam mau atendimento no pronto-socorro da cidade. Apesar das críticas, a Prefeitura informou que não há falta de profissionais na unidade médica.

Segundo relato de moradores, também faltam medicamentos na unidade e ventiladores estão quebrados.
Uma moradora, que não quis ser indentificada, relatou que teve que comprar na farmácia os recipientes para o exame de urina, além de levar lençol e toalha para o marido quando ele precisou ficar internado no pronto-socorro.

Falta de materiais
Ainda de acordo com relatos da população, há apenas dois médicos na unidade e o déficit de profissionais gera longa espera. O morador Wladimir Gaic reclamou do atendimento. "Eu estava com dor no pé e o médico disse que era só uma luxação. Depois de três dias, outro médico viu que meu pé estava quebrado, mas não tinha nada para fazer curativo", relatou.
A demora por atendimento também é uma das reclamações da moradora Gracielly Medeiros. A espera, afirmou, foi de 3h30. "Levei minha filha pequena ao pronto-socorro às 20h e sai de lá 23h30 sem ser atendida", afirmou.
Prefeitura responde
De acordo com Prefeitura de Artur Nogueira não há falta de profissionais médicos na unidade de pronto atendimento. "De segunda a sexta-feira, no período diurno, a unidade conta com o atendimento de três médicos, enquanto que no período noturno a mesma unidade dispõe do trabalho de dois profissionais. Já aos sábados e domingos são dois médicos em cada período", informou a Secretaria de Saúde.
Segundo moradores de Artur Nogueira (SP), na unidade de saúde não há utensílios médicos (Foto: Decléia Wladimir Gaic / Arquivo pessoal)
População relata ainda falta de itens básicos para
atendimentos
A unidade, afirmou a Prefeitura, atua em sintonia com o número de profissionais determinados pelo Ministério da Saúde levando em consideração a população do município. Em relação a falta de remédios, o problema, segundo a administração, é causada pelos fabricantes. "A secretaria está enfrentando dificuldades para comprar apenas alguns medicamentos específicos, justamente pela falta do produto no mercado".
Em relação ao possível mau atendimento prestado por alguns profissionais da saúde, a Secretaria de Saúde afirmou estar investindo em cursos de atualização e motivação para os funcionários. Sobre os ventiladores quebrados, a informação é que serão repostos.

Fonte G1

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.