Header Ads

Seo Services

Em meio à crise do lixo, Americana terá prefeito provisório por oito dias

Pedro Peol assume na quinta-feira (1°), após fim do mandato de Chocolate.
Ele ficará no cargo até a posse de Omar Najar, no dia 9 de janeiro.
Em meio à crise do lixo, toma posse na quinta-feira (1º) mais um prefeito interino em Americana (SP). Pedro Peol (PV), que foi eleito novo presidente da Câmara dos Vereadores, assume provisoriamente a Prefeitura, após o fim do mandato de Paulo Chocolate (PSC), que ficou a frente do Executivo após a cassação do ex-prefeito Diego de Nadai (PSDB). Ele ficará no cargo até as 10h do dia 9 de janeiro, quando assume o prefeito eleito Omar Najar (PMDB), que governará a cidade pelos próximos dois anos.
Peol disse ao G1 que começa a trabalhar na quinta-feira e que sua prioridade será resolver o problema do lixo em Americana, porque a sujeira espalhada pelas vias públicas já virou caso de saúde pública. Ele afirmou ainda que quer mais dois caminhões para fazer a limpeza no município. "Vou priorizar a limpeza da cidade, porque os caminhões vão estar à disposição e eu vou precisar dos funcionários para fazer a coleta e isso eu já tive uma conversa com o sindicato. A limpeza de imediato dá para começar a fazer porque não depende de verba. Já virou uma questão de saúde pública esse lixo apodrecendo aí", explica.
O prefeito interino disse ainda que sua passagem pelo cargo será apenas uma transição até que Najar assuma. "Não vou nomear secretários para não ficar essa troca e não gerar custos para a cidade, pois passamos hoje por uma crise financeira. Posso antecipar que meu mandato será de transição", conta.
Sujeira na Prefeitura
Nesta quarta-feira (31), os moradores revoltados com a quantidade de lixo acumulado nas ruas e casas de Americana (SP) levaram o problema para a entrada da Prefeitura. A escada e parte da calçada ficaram tomados de sacolas plásticas por volta das 11h. O protesto foi organizado pelas redes sociais diante da crise na coleta dos resíduos por causa da greve dos servidores municipais.
De acordo com o sindicato dos servidores, 100% dos coletores de lixo estão trabalhando nesta quarta-feira, mesmo sem terem recebido o salário e o 13º. A empresa particular que faz a coleta informou que os dez caminhões estão nas ruas.
A chuva que atingiu a cidade na noite de terça-feira (30) deixou ruas e avenidas alagadas. Em uma delas, um morador registrou imagens de sacolas de lixo boiando na via alagada. Lixeiras também foram parar no meio da pista. A foto foi enviada pelo aplicativo Jornal da EPTV.
Três semanas sem coleta
A coleta de lixo foi retomada em Americana (SP) nesta terça-feira (30) após três semanas de suspensão, mas serão necessários pelo menos 10 dias para que todo dejeto acumulado pelas ruas seja recolhido. Os servidores voltaram ao serviço mesmo sem um acordo que garanta o pagamento de todos os salários atrasados pela Prefeitura. Segundo o sindicato da categoria, os trabalhadores ficaram sensibilizados com o caos em que a cidade se transformou com a falta de limpeza pública.
Inconformados com a situação, algumas pessoas chegaram a pagar R$ 3 para um coletor particular, que chegou a ser detido pela Guarda Municipal após tentar descartar os resíduos em Santa Bárbara d'Oeste.
Greve
A greve dos servidores municipais foi retomada no dia 8 de dezembro, para reivindicar o pagamento de salários atrasados. Além da limpeza pública, a paralisação causa transtornos nas áreas da saúde e segurança.
Mesmo os servidores da coleta de lixo não descartam voltar à greve a partir desta sexta-feira (2), caso a administração municipal não apresente nova proposta para pagar os atrasados, como o 13º salário.
O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª Região, determinou que 60% dos servidores da saúde e coleta de lixo devem manter as atividades na cidade, sob pena de multa diária de R$ 10 mil ao sindicato da categoria por descumprimento.
Crise na administração
Sem dinheiro em caixa, o novo governo de Americana assumirá uma cidade com dívida estimada em R$ 1 bilhão e terá de lidar, logo ao assumir o comando, com a greve do funcionalismo público.
Segundo o vice-prefeito eleito e responsável por comandar a transição, Roger Willians (PSDB), a previsão é reduzir as secretarias de 22 para até 12 e cortar cargos comissionados. O tucano também admite a necessidade de parcelar vencimentos atrasados.


Fonte : G1

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.