Header Ads

Seo Services

Homens de 40 e 54 anos morrem do novo coronavírus em Paulínia


A Prefeitura de Paulínia registrou neste sábado (26) duas mortes de moradores de Paulínia em decorrência da Covid-19. Conforme a Administração municipal, a cidade totaliza 232 óbitos desde o início da pandemia.


O Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus da Prefeitura informou que a:


231ª morte


Trata-se de um homem de 40 anos, com antecedente de obesidade. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 12 de abril, sendo internado em hospital da rede pública de Santo André, na Grande São Paulo, no dia 23 de abril. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Morreu no último dia 14 de maio, há 42 dias.


232ª morte


Refere-se a outro homem, mas de 54 anos de idade e com antecedente de diabetes mellitus, segundo a Prefeitura. Iniciou os sintomas respiratórios no dia 17 de junho e deu entrada no hospital municipal de Paulínia no último dia 19. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a Covid-19 pelo exame de PCR, com resultado positivo. Morreu na terça-feira passada, dia  22.


Segundo o boletim epidemiológico da Prefeitura, com dados atualizados até as 9hh30 deste sábado, 69 pessoas estavam internadas em decorrência da Covid-19 no Hospital Municipal de Paulínia ”Vereador Antônio Orlando Navarro” – sete a menos que o registrado nas últimas 24 horas. Vinte e quatro seguiam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 45 em leitos clínicos.


Chegada de insumos


Neste sábado, um avião proveniente da China com 6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) chegou no Aeroporto Internacional de Guarulhos,  na Grande São Paulo, para a produção de mais 10 milhões de doses da vacina Coronavac contra a Covid-19.


A matéria-prima foi enviada pela biofarmacêutica Sinovac, parceira internacional do Instituto Butantan no desenvolvimento da vacina contra o novo coronavírus. A previsão é que as doses fabricadas com essa quantidade de insumos sejam distribuídas para a população em julho.


A produção em São Paulo envolve processos de envase, rotulagem, embalagem e um rigoroso controle de qualidade antes  do fornecimento das doses ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde. O prazo de entrega das vacinas prontas gira em torno de 15 a 20 dias.

Segundo o governo estadual de São Paulo, além da entrega de 3 mil litros de IFA em maio, São Paulo recebeu outros 3 mil litros em abril. Em março, uma remessa de 8,2 mil litros, correspondente a cerca de 14 milhões de doses, chegou ao Butantan. Mais 11 mil litros foram desembarcados em fevereiro. No final de 2020, o Butantan já havia recebido IFA para a produção de 3,8 milhões de vacinas.

De acordo com as informações, já foram entregues ao PNI, pelo Butantan, 52,21 milhões de vacinas contra a Covid-19, como parte de dois contratos firmados com o Ministério da Saúde. O total de doses dos dois acordos totalizam 100 milhões de doses, com previsão de conclusão para o dia 30 de setembro.

Produção

“A partir de dezembro, o Butantan deverá passar a produzir a matéria-prima da vacina contra a Covid-19 em uma nova fábrica em São Paulo. A construção da unidade deve ser concluída em setembro, com capacidade para fabricação local de 100 milhões de doses do imunizante por ano”, disse o governo estadual.

Mais um milhão de doses prontas da vacina do Butantan serão enviadas pela farmacêutica chinesa Sinovac ao estado de São Paulo já nesta próxima terça-feira (29). A nova remessa foi acertada em reunião entre representantes do governo paulista, Butantan e Sinovac, ocorrido no último dia 22.

Clique Aqui para ver mais Notícias de Paulínia

Fonte: 24hrs

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.