Header Ads

Seo Services

'Tem que se adaptar à situação'

O prefeito de Americana, Omar Najar (PMDB), disse que falta compreensão dos servidores com relação aos atrasos no pagamento e que "tem que se adaptar à situação". "Falta compreensão, o pessoal tinha que ter um pouco de bom senso, pensar mais na cidade e não só no umbigo, na barriga deles. O País inteiro está nessa situação, o Estado do Rio Grande do Sul, que paga em não sei quantas parcelas, o Estado do Rio de Janeiro, a situação que está, tem cidades que eu estou sabendo que está há sete, oito meses atrasado com o salário", disse.
Em setembro do ano passado, Omar afirmou que assinou uma carta compromisso para priorizar o pagamento do salário dos servidores. "Agora fica com essa pressão? Isso não leva a nada. Se tem dinheiro, o primeiro que nós vamos pagar é o funcionário. Agora, não adianta. Greve, greve. Não adianta nada", disse à época.
Omar disse ontem que a administração tem feito esforço para pagar em duas parcelas, que a categoria recebeu uma parte do pagamento semana passada, mas manteve a greve.
"Não conseguimos nesse mês. Mas o cara vai na rádio e começa a falar 'ai minha conta', pô, faz economia. O Brasil inteiro está fazendo economia. Agora, você gasta mais do que se ganha, ou você sabe que não tem a certeza de receber no dia, você tem que se adaptar à situação. O ser humano é fácil de se adaptar, eles têm que se adaptar. Vou fazer milagre? Não tenho varinha mágica pra fazer dinheiro", desabafou.
No entanto, na sequência, ele admitiu que o pagamento em dia é direito do trabalhador. "É direito deles, eu reconheço, mas muita gente também tava contando com horas extras e nós cortamos, não só da Gama (Guarda Armada Municipal de Americana), mas dos outros setores do município. Quando eu entrei aqui a prefeitura gastava R$ 1,6 milhões de hora extra por mês. Reduzimos pra R$ 300 mil e nesse mês quero baixar pra R$ 150 mil", contou. Segundo ele, as horas extras são feitas apenas em casos essenciais. "É só em casos excepcionais, que é o caso do aeroporto, que tem que ter hora extra porque é dia e noite, a rodoviária, o parque ecológico". As ligações da reportagem para Marinalva Lima dos Santos, presidente do sindicato dos servidores de Americana, não foram atendidas ontem. Não houve retorno aos recados deixados.

Fonte: TD

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.