Header Ads

Seo Services

Entra em vigor em todo o país nova lei de trânsito com multas mais caras; veja os novos valores

As multas de trânsito ficarão mais caras a partir desta segunda-feira (31-out) em todo o país. Dependendo da gravidade da infração, o aumento será entre 53% e 66%. A última mudança nos valores de multas no CTB (Código de Trânsito Brasileiro) ocorreu em 2002. Com o reajuste, a multa leve passa de R$ 53,20 a R$ 88,38, a média vai de R$ 85,13 para R$ 130,16, a grave sobe de R$ 127,65 para R$ 195,23 e a gravíssima salta de R$ 191,54 para R$ 293,47.
Os preços poderão ser corrigidos anualmente, com reajuste máximo dado pela inflação do ano anterior. Para especialistas em transportes, as mudanças podem ter um efeito positivo inicial, mas não ajudam a educar os motoristas e sim a aumentar a arrecadação dos governos estadual e federal.

Além dos valores mais altos, foram criadas novas infrações, como a de dirigir com uma só mão enquanto maneja o telefone celular com a outra. A multa será gravíssima, com 7 pontos. Já falar no telefone celular no ouvido ao volante continua sendo infração média, uma vez que o olhar pode ser direcionado para o arredor do veículo. A tendência é de que as pessoas tentem esconder cada vez mais o celular, concentrando a visão para fora do para-brisa e causando maior risco de acidentes dizem especialistas.

Outra nova infração é a de interromper, restringir ou perturbar a circulação da via sem autorização. Gravíssima com multiplicador 20, será a multa mais cara do país: R$5.869,40. Houve também reclassificações. O condutor que estaciona em vagas reservadas a idosos ou pessoas com deficiência sem credencial, por exemplo, irá levar uma multa gravíssima (neste ano, ela já havia se tornado grave).

Suspensão
Os motoristas que ultrapassarem 20 pontos na carteira em um ano, passam a ter o direito de dirigir suspenso entre seis meses e um ano (antes, o mínimo era de um mês de suspensão). Em caso de reincidência, a suspensão pode ser de seis meses a dois anos. Já o condutor que comete infração que leva a suspensão direta, poderá ficar sem dirigir entre dois e oito meses. Em caso de reincidência, a proibição será de oito a 18 meses.
Como recorrer de uma multa
O proprietário do veículo deve juntar os seguintes documentos, previstos na Resolução nº. 299/2008 do CONTRAN:

1.Cópia da notificação de autuação, notificação da penalidade, auto de infração ou documento que conste placa e o número do auto de infração de trânsito;
2.Cópia da CNH ou outro documento de identificação que comprove a assinatura do requerente e, quando pessoa jurídica, documento comprovando a representação;
3.Cópia do CRLV (documento do veículo);
4.Procuração, quando outra pessoa estiver realizando o processo em nome do proprietário do veículo;  Cópia de comprovante de residência;
4.Levar os documentos pessoalmente ao órgão responsável pela infração de sua cidade, enviar pelo correio ou até pela internet, dependendo de cada órgão.

Fonte: RMC

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.