Header Ads

Seo Services

Quilo do tomate vai a R$ 8 na região após granizo destruir safra de Sumaré

Variação do fruto na Ceasa de Campinas chega a 300%, no atacado.
Chuva de granizo que atingiu 90% da plantação foi no dia 21 de outubro.
Os preços de variados tipos de tomates dispararam na região de Campinas (SP) nesta semana e estão até 300% mais caros do que antes da chuva de granizo atingir e destruir 90% da produção do fruto em Sumaré (SP), no mês passado. Na Ceasa de Campinas o tipo Italiano do tomate passou de R$ 2 para R$ 8, na venda em atacado, em três semanas. As plantações de Sumaré abastecem o Sudeste, parte do Centro-Oeste e do Nordeste do país.
A região de Campinas está recebendo o fim da safra de Minas Gerais, responsável por abastecer parte do país nesta época. Parte das plantações que o mercado contaria para dar sequência no abastecimento, e baixar os preços, são de Sumaré e foram devastadas.
Cerca de 1 milhão de pés de tomates variados foram arrasados com a chuva de granizo de 21 de outubro. Portanto, não há muito o que oferecer para os mercados nas próximas semanas e a previsão é que os preços disparem ainda mais, segundo a central de abastecimento.
O coordenador de mercado hortigranjeiro da Ceasa, Márcio de Lima, explica que, nesse período de entressafra, o fruto começa a chegar em menor quantidade e, por isso, o preço já começa a aumentar.
"O produtor sabe que vai haver uma diminuição na oferta do produto. Então, ele controla a oferta dele para ter um melhor preço e continuar tendo o que oferecer. E também o fim de safra das regiões Sul e Central de Minas e do Sul do país. Outras regiões estão com a safra atrasada. Também pode contribuir a greve dos caminhoneiros", explica Lima.
Abastecimento sazonal
O abastecimento em todo o país é sazonal, depende da colheita nas regiões produtoras. Na época da chuva de granizo, a região de Campinas era abastecida pela safra colhida nas plantações de Mogi Guaçu (SP). Em seguida, os tomates vieram de Minas Gerais e, na sequência, viriam de Sumaré.
Preço no atacado
De acordo com a Ceasa de Campinas, os preços no atacado estão com variação de 20% a 300 % no valor do quilo, comparando a semana do dia 21 de outubro com esta.
O tipo Carmem passou de R$ 1,75 para R$ 4 (128,5% de aumento); o Débora, de R$ 2 para R$ 2,50 (25%), mas já está em falta em alguns supermercados; e o Cereja e o Sweet passaram de R$ 5 para R$ 6 (20%).
A Ceasa recomenda aos consumidores que substituam o tomate por outros alimentos na salada, como verduras, pepino, abóbora e legumes, que estão com bons preços.


Fonte G1

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.