Header Ads

Seo Services

Paulínia: minipantanal tem projeto de revitalização

EXPEDIÇÃO PERCORREU O LOCAL NESTA QUARTA-FEIRA PARA IDENTIFICAR PROBLEMAS
Prefeitura de Paulínia prepara um projeto de revitalização dominipantanal, no bairro Parque da Represa, que terá início ainda neste semestre.

Considerado um santuário ecológico por abrigar uma extensa variedade de fauna e flora, o minipantanal pertence ao Rio Atibaia e, mesmo muito degradado, continua sendo um dos principais pontos turísticos do município.

Sedema (Secretaria de Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente) de Paulínia realizou na manhã de quarta-feira (08) uma expedição para identificar os problemas ambientais do Complexo Mini Pantanal, no bairro Parque da Represa. A ação foi realizada em conjunto com as secretarias de Eventos e Turismo, Defesa Civil e Segurança. Assecretarias de Meio Ambiente de Americana e Sumaré também participaram.

Entre os principais problemas encontrados pela expedição estão o desassoreamento das margens do rio, lançamento ilegal de produtos químicos nas águas, ilhas formadas por plantas que se desenvolvem graças à poluição e a obstrução de um trecho do rio que liga Paulínia a Americana. A passagem de barco está impedida em razão de uma ilha de plantas aquáticas e lixo.

Com o levantamento em mão estudos serão realizados para apontar quais são as melhores formas de ação no rio. A expedição foi realizada em um catamarã e percorreu cerca de 15 quilômetros das margens do rio. O trecho bloqueado por folhagens e lixo entre Americana e Paulínia foi visitado.

Recuperação

Em princípio, o projeto de recuperação dos 18 quilômetros quadrados de área alagada contará com as prefeituras de Campinas, Americana e Sumaré, uma vez que o minipantanal faz parte do Rio Atibaia, importante manancial de abastecimento de água da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

A mortandade de peixes por causa dos altos índices de poluição no Mini Pantanal já foi alvo de diversas denúncias. No final de 2012, inúmeros peixes imergiram mortos no local.

Na ocasião, o fato foi denunciado à Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), agência ligada à Secretaria Estadual de Meio Ambiente de São Paulo.

O mapeamento dos problemas devem ser apresentados nos próximos meses e a revitalização deve começar ainda neste semestre.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.