Header Ads

Seo Services

Saúde de Paulínia é prioridade,após total descaso da administração anterior

Atual secretário de Saúde reafirma que em breve, setor voltará a ser referência na região
O Jornal da EPTV, exibido na emissora de mesmo nome, trouxe na última semana, duas reportagens mostrando como anda a situação da Saúde Pública em Paulínia. Nelas, foram mostradas que a fila de espera para a realização dos exames de ressonância magnética no Hospital Municipal chega a oito mil pacientes, além do aparelho de tomografia estar quebrado, as ambulâncias estarem com problemas no Centro Geriátrico. Grande parte, reflexos da falta de investimento durante a gestão do ex-prefeito José Pavan Junior (PSB), que esteve à frente da Prefeitura entre janeiro de 2009 até 15 de julho deste ano.
Nas reportagens, foi mostrado que um dos três aparelhos de ressonância magnética está quebrado, assim como o de tomografia que também está inoperante há cerca de 15 dias, mas que já estava em estado precário. De acordo com a Secretaria de Saúde, a antiga administração entregou o tomógrafo em condições precárias de uso e que a cápsula do aparelho estragou por excesso de utilização. O processo de manutenção da peça custará R$ 181 mil e deverá ser concluído em até 15 dias.
Na questão das ambulâncias, a responsável pelo transporte do Samu, Iria Onira da Silva declarou que das 19, quatro estão operando e que podem quebrar a qualquer momento, além de mais quatro alugadas, que quando quebram também não têm reposição, mas que o problema vem dos últimos anos.
Já no Centro de Geriatria, foi mostrado que o prédio onde atuam os profissionais especializados, e inaugurado em 2010, existem diversos quartos interditados, por causa de goteiras e infiltrações. Na sala que deveria ser usada para os procedimentos de reabilitação, há mobílias compradas na gestão anterior e que nunca foram usadas. “Tem uma necessidade muito urgente da cidade, mas infelizmente não estamos podendo atender a população”, admitiu a diretora do departamento, Renata Pupo.
O secretário municipal de Saúde, Renato Cardoso, considerou que os problemas na rede pioraram durante a gestão anterior, mas que a situação melhorará em breve, afirmando que hoje há investimento na área.
Melhorias
A Prefeitura Municipal está reformando o hospital com o objetivo de ampliar o atendimento e também abrirá concurso para a contratação de médicos, mas não há data definida.
A fila de espera para atendimento no Pronto Socorro já apresenta melhoras, segundo a dona de casa Juliana Santos. A moradora do Jardim Leonor afirma que procurou por auxílio médico na semana passada, e o tempo em que foi atendida foi de pouco mais de uma hora. “Ano passado, eu procurei por socorro no hospital e com fortes dores no estômago, esperei por mais de quatro horas para ser atendida, mas agora retornei e fui atendida bem mais rápido. Sei que tem coisas a melhorar, mas tudo leva um pouco de tempo, mas o que já vi, me deixou feliz”, elogia a mulher.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.