Header Ads

Seo Services

Pioneirismo : Paulínia é primeira do Brasil em projeto que estuda qualidade de vida e servirá como referência

Gestão de Saúde é foco da “Conferência Mundial sobre Cidades Inteligentes Saudáveis”

O Theatro Municipal Paulo Gracindo foi palco na manhã de segunda-feira, dia 28, da abertura de um importante evento não somente para Paulínia, mas para várias cidades de diversos países, o projeto “Cidades Inteligentes Saudáveis”, realizado em parceria entre a Prefeitura, através da Secretaria de Saúde e a SDPS (Society for Design and Process Science), instituição internacional que estuda qualidade de vida. O objetivo é criar cidades-referência em Saúde e gestão pública pelo mundo. As atividades seguem até esta quinta-feira, dia 31.
De acordo com Moisés Sanches, representante da SDPS no Brasil, o projeto tem como finalidade fornecer a municípios e parceiros que desejam mudar a sua condição de qualidade de vida, de saúde e de inteligência de gestão, protocolos, tecnologias e metodologias, que vêm de um ambiente científico e acadêmico, mas que podem suportar os problemas complexos de uma cidade.
A sequência do projeto, segundo Sanches, prevê o levantamento de indicadores das cidades, das pessoas e da gestão para articular um processo de quais são as áreas de intervenção e quais os suportes que precisarão ser aplicados para a mudança de modelo do paradigma vigente de saúde para aquele considerado adequado. “São indicadores de saúde, educação, trabalho, qualidade do sono, ambiência, trabalho e renda, relacionamento e todas as áreas que impliquem em saúde”, afirmou.
E Paulínia será a primeira do Brasil a participar do projeto, sendo assim a cidade piloto para que ele se torne um modelo para o país, onde terá como foco a educação e remodelação da gestão de saúde, visando melhorar a qualidade e expectativa de vida da população. Além de Paulínia, outras quatro cidades no mundo irão participar do projeto e receberão acompanhamento da entidade, que reúne cientistas do mundo inteiro, por cinco anos.
A cidade foi escolhida para o programa após as negociações com Hortolândia falharem, e o secretário municipal de Saúde, Renato Netto Cardoso, tinha conhecimento do programa e depois de conversar com o prefeito Edson Moura Júnior (PMDB) foi autorizado a se candidatar. “Fizemos o pedido e fomos escolhidos no final do mês de setembro”, contou.
O projeto é a longo prazo, e a Prefeitura espera que um dos seus efeitos benéficos seja a diminuição do gasto com saúde. “Percebemos que temos que olhar e cuidar da pessoa antes que ela fique doente. Trabalhar a prevenção é o melhor remédio. Aceitamos participar dessa parceria porque temos consciência que a instituição com a qual trabalhamos é uma das mais sérias do mundo e conta com um corpo de cientistas de todo o mundo”, explicou.
Já para o prefeito Edson Moura Júnior, investir em Saúde é fundamental. “Temos um compromisso com nossa população em dar excelência no atendimento à saúde. E a melhor maneira é através da prevenção proporcionada por uma vida saldável. Creio que este projeto tende a nos ajudar neste objetivo”, declarou.
Cardoso ainda explicou que o intuito do projeto é aplicar os resultados obtidos pela instituição ao longo dos anos em algumas cidades do mundo a fim de melhorar a qualidade e expectativa de vida. Para que isso seja possível serão implantadas na cidade vários projetos e modelos de trabalho que integram as secretarias da Saúde, Educação e Transporte.
A assinatura do protocolo entre a organização e o município, aconteceu na terça-feira, dia 29. O primeiro passo será a realização de um censo municipal a partir de janeiro de 2014, que levantará dados sobre a saúde e os hábitos dos quase 93 mil paulinenses, e irá indicar as áreas em que há necessidade de intervenção.
Saneamento básico, qualidade da água, transporte, meio ambiente, habitação e geração de emprego, são alguns dos serviços e setores que receberão avaliação. “Todas essas questões interferem na Saúde. O que nós queremos é que a qualidade de vida aumente, que as pessoas tenham uma vida sempre melhor e que possam chegar na melhor idade em boa condição. Isso se chama cidade inteligente e saudável”, disse Cardoso.
A cada seis meses, o projeto será reavaliado. “Aquilo que for implantado, tiver avaliação positiva e for considerado um sucesso, a ideia é que seja transferido para as demais cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) e do País”.
A partir de agora, a Prefeitura vai começar a redimensionar as equipes para dar início aos trabalhos e ao censo municipal.
O Fórum
O fórum irá estabelecer relações entre tecnologias, modelos de gestão, pesquisas científicas, suas aplicações e contribuições para construção de cidades e comunidades saudáveis. O evento incluirá também a apresentação de teorias, sistemas metodológicos e técnicos como ferramentas para a gestão de inteligência, elementos necessários à realização de projetos. O resultado do programa criará fóruns permanentes mundiais para discussões temáticas e aplicações de políticas com o objetivo de criar cidades-referência em saúde e gestão pública pelo mundo.
O encontro trata-se de um evento científico-acadêmico que tem como objetivo discutir mudanças de paradigmas na gestão de saúde pública e fomentar descobertas e práticas de desenvolvimento de sistemas e processos de inovação colaborando com a solução de problemas complexos nas áreas social, saúde, gestão, sustentabilidade, urbanismo, gestão de recursos financeiros, operacionais, tecnológicos e humanos.
No tema trabalhado, serão apresentados modelos, indicadores e resultados de ações em municípios que tiveram sua realidade melhorada após a implementação de sistemas e processos para gestão de saúde, segurança, meio ambiente, transporte público e educação.
A conferência, que escolheu como sede as instalações do Hotel The Royal Palm Plaza em Campinas, contará com a presença de autoridades representantes de Ministério da Saúde, Planejamento, Minas e Energia, Ciência e Tecnologia e Educação. Também participarão Governo de Estado, prefeitos, gestores públicos da área de saúde, saneamento, planejamento urbano e gestão integrada, além de diretores e líderes de decisão da indústria, agências internacionais, institutos de pesquisa Nacionais e Internacionais, Acadêmicos dos campos de Educação, Saúde, Engenharias e TI e pesquisadores associados da SDPS em todo o mundo.
Na abertura, realizada em Paulínia, estiveram presentes autoridades como a Dra. Márcia Amaral, Secretaria Executiva do Ministério da Saúde, Dr. Guilherme Franco Montouro, Chefe de Departamento da Regional Sul do BNDES, Dr. Áureo Lopes, Procurador do Ministério Público Federal, Dr. João Frederico Meyer, Pró Reitor da UNICAMP, além de personalidades internacionais como o Prof. Dr. Sang Súh, Presidente Mundial da SDPS, Profª. Drª. Handa Almarrí, Pesquisadora da Universidade de West Minster – Londres, e representantes da Prefeitura de Paulínia e Hortolândia.
Na tarde de segunda-feira, dia 28, foram apresentadas mesas temáticas com os temas: Habitação e Zelo pelo Meio Ambiente, Relacionamento familiar, amizade, fé e confiança, Educação como verdadeiro exercício de cidadania e trabalho. Participaram das mesas diversos acadêmicos e representantes do governo além do jornalista Cid Moreira que participou na terça-feira, dia 29, de uma mesa temática que discutiu o tema: Atividade Física, Lazer, Alimentação Saudável e Qualidade do Sono.

 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.