Header Ads

Seo Services

Bando que roubou tablets pode ter sido flagrado por câmeras de rodovia


Centro logístico fica às margens da Rodovia Anhanguera, em Campinas.
Funcionários prestaram depoimento durante a manhã desta segunda-feira.

Funcionários foram levados para um refeitório do
Centro Logístico Brasil (Foto: Reprodução/ EPTV)
A Polícia Civil pretende solicitar nesta segunda-feira (18) as imagens de câmeras de monitoramento de tráfego de veículos da Autoban, concessionária que administra o sistema Anhanguera-Bandeirantes, que podem ter registrado a fuga do comboio utilizado pela quadrilha que assaltou o Centro Logístico Brasil, que fica às margens da Rodovia Anhanguera, no distrito de Nova Aparecida, em Campinas (SP). Pelo menos 30 suspeitos participaram da ação e foram utilizados 18 veículos para levar a carga de tablets e smartphones na noite de sábado (16).
O delegado Carlos Henrique Fernandes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) começou a ouvir nesta manhã os esclarecimentos dos funcionários do condomínio logístico, que estavam trabalhando durante o crime. O delegado não quis repassar detalhes da investigação e nem dos depoimentos.
Segundo a polícia, os integrantes do bando não foram identificados e veículos - sendo oito carros e dez caminhões - não foram localizados. Os produtos levados também não foram recuperados.

Mudança de rotina
O crime mudou a rotina dos funcionários durante a retomada dos trabalhos. O sistema de controle de acesso de uma empresa de telefonia foi roubado e ficou fora de operação. O acesso para a entrada foi liberado com atraso. Os funcionários foram levados para um refeitório da empresa.
Motoristas responsáveis pelo transporte equipamentos eletrônicos também ficaram retidos para o lado de fora e não sabiam se receberiam a autorizado a fazer o carregamento. "Vai atrasar o trabalho e temos carga que levar para São Paulo. Para entrar o acesso é complicado, demora, têm que pedir dados, agora os caras chegam aí e entram na maior facilidade", afirma o motorista Luciano Aparecido.
No local funciona uma unidade da Celistics, multinacional espanhola que responde por 60% das operações de logística e transporte de aparelhos celulares no Brasil, segundo a Prefeitura.
O caso
A Polícia Militar relatou que parte do grupo, armado com pistolas e fuzis de uso exclusivo das Forças Armadas, surpreendeu o chefe da segurança que estava a caminho da empresa. Os suspeitos encapuzados invadiram o condomínio usando o mesmo veículo e, a partir de então, renderam os outros vigias da empresa para permitir a entrada do comboio. A ação dos bandidos levou três horas e os funcionários não ficaram feridos.
Parte dos funcionários ficou trancada em veículos da empresa, enquanto outros foram obrigados a carregar os equipamentos eletrônicos para os carros e caminhões dos suspeitos. O valor da carga roubada não foi confirmado. O bando também roubou as três armas e coletes dos seguranças.

Investigações
A polícia apreendeu bitucas de cigarro, uma camiseta, um alicate, uma luva e um pedaço de algodão com mancha vermelha, que pode indicar sangue. O material será avaliado pelo Instituto de Criminalística (IC) e o resultado será divulgado em até 30 dias. A polícia também vai analisar imagens do circuito de câmeras de segurança da empresa, que não foram levadas pelos criminosos.
Segundo o policial Gileno Luz, que atendeu a ocorrência a quadrilha tinha conhecimento sobre o funcionamento da segurança do local. Eles conheciam muito bem o local até melhor do que até do que os próprios funcionários”, disse.
Procurada pela EPTV, uma das empresas responsáveis pela segurança no local, a G4F, preferiu não comentar o assunto. Na delegacia, um representante da Celistics não quis revelar detalhes.


Fonte : G1 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.