Header Ads

Seo Services

Campinas busca médicos para suprir demanda


Saúde admite dificuldade em contratar médicos e irá fazer ampla divulgação de concurso em faculdades e outros Estados
Com déficit de 400 médicos na rede, a Secretaria de Saúde prepara edital para concurso público. A dificuldade de contratação vai fazer com que a divulgação seja feita de forma mais incisiva em outras cidades e estados, e que a prefeitura faça também apelo às universidades.

Leia outras notícias do Metro Campinas desta sexta-feira

Segundo Cármino Antônio de Souza, secretário de Saúde, a dificuldade existe em âmbito nacional e desde a faculdade, na formação dos novos médicos. “Não existe falta de médicos. Hoje eles procuram especialidades como a dermatologia, por exemplo, e têm como objetivo trabalhar em uma rede privada, que aparentemente oferece um salário maior”, disse.

O secretário afirma que existe um preconceito em relação a rede pública, o que também dificulta no processo. “Infelizmente existe um preconceito com o SUS. As condições não tão boas de algumas unidades e também a exposição excessiva das fragilidades do sistema público são obstáculos”, aponta. “Precisamos incentivar desde cedo, na faculdade, os médicos, para que eles peguem gosto em serem clínicos”.

O edital está em fase de elaboração e, depois de pronto, tem 90 dias para ser homologado o concurso.

Campinas possui hoje 1.300 médicos na rede pública de saúde, número insuficiente para atender às necessidades do município. Além disso, 96, contratados pelo Cândido Ferreira, deixarão os postos em março, quando vence o contrato.

Além dos profissionais que terão seus contratos terminados, faltam 145 clínicos gerais, outros 20 médicos para saúde da família, 45 pediatras, 35 ginecologistas, e 15 psiquiatras.

Quanto ao salário, Souza explica que a diferença não é grande em relação a rede privada. “Na rede pública, você tem uma boa remuneração e benefícios que não se encontra na rede privada”, explica.

Ainda segundo o secretário, é preciso humanizar o atendimento nas unidades para começar a mudar a visão de que o SUS não presta um bom serviço.

“Esse é um trabalho de longo prazo, no qual devemos investir”, disse Souza.

 Fonte : Band Uol

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.